ONU e a Vodafone pretendem conectar 3,4 bilhões de pessoas com smartphones até 2030 - MenosFios
Logotipo oficial do MenosFios

A Vodafone e a agência especializada das Nações Unidas em tecnologias de informação e comunicação, lançaram uma nova iniciativa para resolver o fosso digital global, com o objectivo de que mais 3,4 bilhões de pessoas possam ter a capacidade de acessar e usar a internet por meio de um smartphone até 2030. 

Dos 3,7 bilhões de pessoas que não estão conectadas à internet, 3,4 bilhões vivem dentro do alcance de redes móveis, mas actualmente não estão a acessar a internet, em parte devido à falta de posse de um smartphone.

Com as redes de banda larga móvel (4G) a cobrirem agora 82% da população dos Países de Renda Baixa e Média (LMICs), a lacuna de uso móvel é 6 vezes maior do que a lacuna de cobertura móvel. Em linha com as metas globais da Comissão de Banda Larga para 2025 sobre acessibilidade e conectividade, o novo Grupo de trabalho identificará políticas, intervenções comerciais e de economia circular para aumentar o acesso aos smartphones.

A promessa das Nações Unidas, do Vodafone Group Plc e da ITU de aumentar o acesso ao smartphone para 3,4 bilhões de pessoas em todo o mundo é oportuna e importante. Enquanto a Vodacom trabalha para conectar os próximos 100 milhões de africanos através da sua campanha “Africa.Connected”, onde esperam apoiar a ambição da Vodafone de garantir que ninguém seja excluído da economia digital global e possa ter acesso à educação, empregos públicos e financeiros Serviços.”

O smartphone é responsável por 86% das conexões com a internet nos LMICs, enfatizando a importância dos telemóveis na abordagem desse problema. Mesmo assim, bilhões de pessoas continuam a usar telefones com recursos menos inteligentes, sem uma conexão com a Internet, e o mercado 2G continua a crescer.

Isso significa que a exclusão digital está a aumentar à medida que a pandemia global acelerou o surgimento de sociedades digitais e os smartphones são cada vez mais uma porta de entrada essencial para acessar serviços públicos – incluindo educação e suporte médico – serviços financeiros, empregos e administração de empresas.

Nick Read, CEO do Grupo Vodafone, disse: “A Vodafone tem a honra de fazer parte desta monumental iniciativa global com a ONU, para melhorar a vida de bilhões de pessoas através do acesso por smartphone. Este é um desafio tão complexo que nenhum operador de rede, dispositivo fabricante, provedor de serviços financeiros ou governo nacional podem resolver por conta própria – mas trabalhando juntos podemos quebrar as barreiras. “

O Grupo de Trabalho da Comissão de Banda Larga produzirá um relatório e um conjunto de recomendações concretas, incluindo: 

  • análise original e dados sobre a lacuna de acesso do smartphone;
  • quantificação do impacto social e económico de fornecer a todos acesso por smartphone até 2030, incluindo avaliação da mudança de usuários com telefones 2G para smartphones 4G;
  • análise de iniciativas ou pilotos projectados para aumentar o acesso de smartphones. O Grupo Vodafone comprometeu-se a lançar dois projectos-piloto sobre a acessibilidade do dispositivo como parte deste processo.

Para coincidir com a criação do novo Grupo de Trabalho, a Vodafone, a Vodacom e a Safaricom publicaram também o segundo relatório Africa.Connected sobre a aceleração do 4G para a África Subsariana.