Consultório Menos Fios: 7 coisas que nunca deve partilhar online - MenosFios
Logotipo oficial do MenosFios

Como já informamos, considera-se nas lides informática o mês de Outubro como o Mês da Cibersegurança, onde durante esse período e muito por culpa da nossa responsabilidade social alertamos sempre aos nossos leitores a ter sempre muito cuidado ao “surfarem” na internet.

O novo coronavírus veio acelerar a digitalização de praticamente todas as áreas da sociedade e, hoje, é possível fazer compras de supermercado através da internet, mas também pedir medicamentos na farmácia ou, até, resolver questões mais burocráticas.

Todos estes serviços implicam a partilha de dados e, se juntarmos ainda as redes sociais, são várias as informações que nós sem darmos conta acabarmos por partilhar, mesmo sabendo que nem tudo deve ser partilhado.

É tendo em base a vossa segurança, que a redação do Menos Fios junto com o jornal La Vanguarda, na edição de hoje do Consultório Menos Fios  mostramos sete dados que não devem ser partilhados sob pena de consequências negativas como ciberataques ou tentativa de fraude.

MAIS: Consultório Menos Fios: 8 dicas para cuidar bem do seu smartphone

Então, boa leitura e certifique-se de não voltar a partilhar os respectivos dados abaixos:

1 – Número de telemóvel ou email

Para muitos esse é o dado mais díficil de seguir, visto que hoje em dia se tornou habitual indicar o número de telemóvel e/ou email para efetuar o registo em quase todo site na internet. Mas infelizemente quando partilhamos o número de telefone estamos sujeitos a sofrer a ataques de spam, phishing ou outros ataques informáticos. A redação do Menos Fios recomenda a criação de um endereço eletrónico destinado exclusivamente a registos online.

2 – Morada

Também não recomendamos partilhar a sua morada, especialmente se for realmente a sua morada. Nessa mesma senda, não é aconselhamos mostrar a localização em tempo real ou mesmo sinalizar os locais frequentados com frequência. Infelizmente este é o tipo de informações que faz com que seja mais fácil para potenciais ladrões seguirem os movimentos de alguém e perceberem qual é a melhor hora para tentar roubar uma casa.

3 – Fotografias de menores

Talvez seja impossível controlar o nosso o impulso de partilhar com o mundo a recente chegada do mais novo membro da família recente, ou até mesmo uma fotografia que mostre como é engraçado, recomendamos fortemente que limite essa vontade. Nunca se sabe até onde vai parar essa fotografia que partilhamos, então se quiser partilhar recomendamos que pelo menos cobre o rosto da criança em questão.

4 – Fotos comprometedoras

Ainda falando na partilha de documentos, também não aconselhamos partilhar imagens que podem ser comprometedoras, no presente ou no futuro, nomeadamente fotografias de caráter íntimo ou sexual. Estas podem representar uma ameaça em um certo tempo, mesmo quando são publicadas a partir de perfis privados.

MAIS: Consultório Menos Fios: 8 coisas que podem ajudar-te a procurar algo no Google

5 – Documentos pessoais

Revelar o número ou fotografia do Bilhete de Identidade – ou um outro docuemnto com os nossos dados – abre a porta para o roubo de identidade. O mesmo se aplica a carta de condução, contratos de trabalho e dados bancários, isto é, esses todos documentos devem ficar de fora das partilhas online.

6 – Conversas privadas

Da mesma forma que não se deve partilhar fotografias sem o seu consentimento, também não se deve tornar pública uma conversa que foi tida fórum privado. Mesmo partilhar capturas de ecrã(screenshots) de pequenas conversas, por exemplo, deve ficar fora de cogitação.

7 – Opiniões, queixas e comentários comprometedores

Por fim, as vezes é muito comum recorrermos à internet para deixar críticas ou reclamações, mas não recomendamos também o uso disso. Como já falamos acima, um comentário nas redes sociais pode deixar alguém ofendido, por exemplo, resultando numa guerra virtual que pode gerar problemas para o internauta.

Esse foi o Top 7 de coisas que não deves partilhar na internet. Agora, pedimos que os nossos leitores as comentem e que contribuam com informações adicionais que julguem serem necessárias sobre esse mesmo tema.

Todas e quaisquer questões que gostassem de ver aqui respondidas devem ser colocadas no canal de comunicação exclusivo e dedicado ao consultório Menos Fios.

Falamos do email criado para esse fim: [email protected]. Este é o único ponto de receção das questões que nos enviarem. Usem-no para nos remeterem as vossas questões, as vossas dúvidas ou os vossos problemas. A vossa resposta surgirá muito em breve.